Suspeito de ser “serial killer” é preso em Porto União

Aplicativo do SUS começará a ser testado em Joinville
25 de setembro de 2019
Operação apreende remédios ilegais para emagrecimento em Joinville
25 de setembro de 2019

Um homem de 37 anos foi preso na cidade de Porto União, aqui no norte do estado, suspeito de ser um “serial killer”. De acordo com o delegado Ricardo Melo, da Delegacia de Polícia Civil de Porto Belo, o homem teria cometido pelo menos três crimes aqui em Santa Catarina e outro no Paraná, todos com a mesma maneira de agir e com contextos parecidos, por isso a polícia trata o caso como homicídios em série. O primeiro crime registrado, do qual o homem já foi condenado a pena de 22 anos de reclusão, aconteceu em 29 de março de 2013, quando a esposa dele foi encontrada morta em casa, no bairro Perequê, em Porto Belo. O autor acionou a polícia, alegando que a vítima tomava remédios fortes e teve uma parada cardíaca. Conforme o delegado, o segundo caso ocorreu em 08 de junho de 2015, onde o homem é o suspeito de matar a mãe, no bairro Morretes, em Itapema. O investigado acionou os bombeiros porque teria chegado à casa da família e encontrado a mãe morta. À época, a polícia verificou que havia sangue em suas roupas, mas o homem alegou ter feito respiração boca a boca na vítima. Além disso, ainda havia marcas de defesa no braço do suspeito. A participação do padrasto neste crime também é investigada pela Polícia Civil. Em julho de 2015, o homem chegou a ser preso preventivamente pela polícia de Porto Belo, por causa do primeiro homicídio, mas foi solto para aguardar ao julgamento em liberdade. Já o terceiro caso aconteceu em 15 de março de 2018, quando o corpo de um homem foi encontrado em avançado estágio de decomposição, no bairro Perequê, em Porto Belo. Durante as investigações, a polícia identificou que a vítima estava dando abrigo para o suposto “serial killer”. Depois do caso, o investigado fugiu para o Paraná. O quarto caso foi um homicídio em União da Vitória, no Paraná, onde o suspeito também foi preso, mas está respondendo em liberdade. A vítima era o dono da pousada onde residia.